Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

JOSÉ CALENGI, MANTÉM OS NÍVEIS DE CONFIANÇA E ASSEGURA QUE O EXECUTIVO VAI REALIZAR O COMPROMISSO DE ANGOLANO E DO PAÍS

Exclusivo : Falta de logística hábil e equipamento operacional tornam o adiamento de Canso Angola 2024 A falta da logística suficiente e equipamento operacional nomeadamente,...
HomeNOTÍCIASSOCIEDADEDenúncia pública: A Crise Humanitária no Huambo e a Incompetência do Governo...

Denúncia pública: A Crise Humanitária no Huambo e a Incompetência do Governo Angolano

Eu, poeta Ukwanana, defensor dos direitos humanos e da dignidade dos angolanos, venho a público denunciar a situação alarmante e desumana que testemunhei recentemente na cidade do Huambo. Em pleno século XXI, é inadmissível que, em tempos de paz, cidadãos angolanos estejam morrendo de fome e vivendo em condições precárias a poucos metros dos edifícios governamentais.

By: Poeta UKwanana

O presidente João Manuel Gonçalves Lourenço e seu governo têm se mostrado incapazes e incompetentes para resolver os problemas básicos da população. O descaso com a vida dos angolanos é evidente e não pode ser mais ignorado. No Hospital Regional do Huambo, que atende pacientes de várias províncias, incluindo as circunvizinhas, a situação é desesperadora.

A administração municipal do Huambo destinou um local para abrigar os acompanhantes dos doentes, mas o que encontrei foi um cenário de calamidade. As pessoas dormem ao relento, se alimentam muito mal, e não têm acesso a condições básicas de higiene. Há apenas um banheiro para mais de mil pessoas, o que é absolutamente inaceitável. Os acompanhantes, muitos vindos de regiões distantes como Mungo, são forçados a viver em condições degradantes enquanto esperam a recuperação de seus entes queridos.

No local, soube que é comum pessoas morrerem devido às condições precárias. Banham-se onde dormem e onde comem, num ciclo de miséria que parece não ter fim. Essa realidade é um reflexo direto da falha do governo em cumprir seu dever fundamental de proteger e cuidar de seus cidadãos.

Peço, urgentemente, a intervenção do presidente da República de Angola. A situação no Huambo é uma emergência humanitária que exige ação imediata. Não podemos continuar a permitir que angolanos morram de fome e vivam sem dignidade, enquanto os líderes governamentais permanecem inertes e alheios ao sofrimento de seu próprio povo.

Além disso, faço um apelo à comunidade internacional para que preste assistência aos nossos irmãos angolanos. A intervenção e o apoio externo são essenciais para aliviar o sofrimento e garantir que os direitos humanos sejam respeitados em Angola.

É hora de agir. É hora de colocar fim a essa tragédia. Como poeta e defensor dos direitos humanos, não posso permanecer em silêncio diante de tamanha injustiça. O povo de Angola merece uma vida digna e é dever de todos nós lutar para que isso se torne uma realidade.

Para quem quiser nos ajudar a ajudar estas famílias, eis as nossas coordenadas bancárias e endereço:

Facebook:

Nós e a Comunidade

Coordenadas bancárias:

– Conta: 07144640810001

– IBAN:0040 0000 7144 6408 1015 5

– Titular: Demóstenes Eduardo Chiquete