Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Amnistia Internacional exige respeito ao direito de protestos em Luanda

A Amnistia Internacional lembra que as autoridades angolanas devem respeitar os direitos dos manifestantes em Luanda durante a manifestação prevista para 22 de junho...
HomeNOTÍCIASSAÚDECasos de dengue triplicam com 80% das infeções no Brasil

Casos de dengue triplicam com 80% das infeções no Brasil

Jarbas Barbosa, diretor do OPAS, o escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) nas Américas, disse que a região sul americana registou, de janeiro a março, 3,5 milhões de casos de dengue, valor três vezes superior aos casos notificados no mesmo período do ano passado.

Barbosa, numa conferência de imprensa, revelou que: “Isto é motivo de preocupação porque representa três vezes mais casos notificados do que na mesma data de 2023, um ano recorde com mais de 4,5 milhões de casos”.

O vírus da dengue é transmitido às pessoas através de picadas de mosquitos Aedes aegypti infetados.

Barbarosa reconhece que o ano de 2024 será “provavelmente” a pior “temporada de dengue” alguma vez registada na América do Sul.

Os especialistas da OPAS referem que o aumento de casos de dengue, está relacionado às altas tempereraturas, a urbanização das cidades, as secas e inundações ligadas às alterações climáticas, o mau saneamento e a falta de sistemas de saúde robustos.

O Brasil, situado no hemisfério sul, é onde ja foram registados maior parte dos casos. O Ministério da Sáude brasileiro indicou que já foram registados no país 2,3 milhões de casos prováveis de dengue, e 830 mortes em 2024.

A OPAS precisa que o Brasil reúne 80% das infeções contabilizadas na região, seguido pelo Paraguai, Argentina, Peru e Colômbia.

O escritório regional da OMS apelou a todos os países da região, para que apoiem os esforços de prevenção, e intensifiquem a eliminação dos criadouros, a principal medida usada atualmente para evitar a propagação da dengue, sendo que as vacinas ainda estão numa fase preliminarde aplicação e não estão disponíveis em grande quantidade.

Os responsáveis da OPAS consideram também ser essencial, preparar os serviços de saúde, públicos e provados, para o diagnóstico precoce e o tratamento clínico oportuno dos pacientes com dengue.