Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Camarões: lésbica, Brenda Biya revela sua homossexualidade

Nos Camarões, o jornalista e denunciante Remy Ngono expõe a orientação sexual da filha do presidente camaronês Brenda Biya. Esta última seria lésbica segundo...
HomeDESPORTOFredy rendido a Pedro Gonçalves: «É o melhor exemplo de como desenvolver...

Fredy rendido a Pedro Gonçalves: «É o melhor exemplo de como desenvolver o futebol em Angola

Angola defronta este sábado a Namíbia nos oitavos de final da CAN, depois de uma fase de grupos surpreendente onde assegurou o 1.º lugar do Grupo D com 7 pontos.

Em declarações à ‘BBC Sport’, o médio Freddy atribuiu boa parte do mérito ao português Pedro Gonçalves, selecionador dos palancas desde 2019. “Pedro Gonçalves é o melhor exemplo de como desenvolver o futebol em Angola.

Pegou em jogadores que treinou nos sub-17 [o técnico foi selecionador desse escalão entre 2018 e 2019] e trouxe-os para a primeira equipa. Disse-me: ‘Freddy, com estes jovens e os jogadores experientes, podemos fazer algo incrível’. Agora provou isso”, elogia o veterano de 33 anos, com passagem por Belenenses e B SAD e que, atualmente, joga na Turquia. “Não é daqueles treinadores que pensa que sabe tudo.

Ouve o que a equipa tem para dizer e dá-nos confiança. É uma pessoa muito boa e, taticamente, também é muito inteligente”, acrescenta. Fredy foi titular nos três jogos da fase de grupos e aponta a união da equipa como outro dos segredos para a boa campanha. “Respeitamo-nos mutuamente e temos uma excelente ligação”, refere ao canal britânico.

Internacional jovem por Portugal, o médio estreou-se pela seleção angolana em 2014 e nota uma clara evolução: “Muitos jogadores mudaram-se para o futebol europeu e, quando o fizeram, a mentalidade mudou. Começaram a acreditar mais e a tornar-se mais profissionais.”

Quanto ao objetivos para a CAN, diz querer deixar os angolanos felizes: “As pessoas estão a dançar, a divertir-se. O país está com esse estado de espírito, mas a vida em Angola não é fácil. Estas vitórias dão felicidade às pessoas e isso deixa-nos orgulhosos. É a maior motivação que temos. Eu tive a sorte de ter crescido em Portugal, com uma vida diferente. Mas eu e os meus colegas sabemos que há pessoas que não têm pão para comer à noite. Se ganharmos, podem ir dormir felizes. Não é o ideal, mas sabemos que é uma ajuda.”