Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

JOSÉ CALENGI, MANTÉM OS NÍVEIS DE CONFIANÇA E ASSEGURA QUE O EXECUTIVO VAI REALIZAR O COMPROMISSO DE ANGOLANO E DO PAÍS

Exclusivo : Falta de logística hábil e equipamento operacional tornam o adiamento de Canso Angola 2024 A falta da logística suficiente e equipamento operacional nomeadamente,...
HomeNOTÍCIASPor falta de prova de vida mais de seis mil pensionistas podem...

Por falta de prova de vida mais de seis mil pensionistas podem ver cortados seus subsídios de pensões

Mais de 6.000 pensionistas da Caixa de Protecção Social do Ministério do Interior (MININT) podem ver cortados os subsídios de pensões se até ao próximo dia 29 desde mês não realizarem a prova de vida.

Dos 16 mil pensionistas existentes na caixa, apenas 10 mil fizeram a prova de vida desde Fevereiro, altura que teve início e a direcção da Caixa de Protecção Social do MININT assegura que esta situação pode perigar o benefício da pensão para quem, daqui a 22 dias, não conseguir fazer a prova de vida. .

O intendente Anacleto Mateus, porta-voz da Caixa de Protecção Social do MININT, assegurou que o processo está simplificado, e não vê razões para a falta de adesão, garantindo mesmo que será feito o corte do subsídio

Segundo este responsável, a Caixa de Protecção Social facilitou o processo em termos documentais, num processo em que viúvas, reformados e órfãos têm apenas de apresentar o extrato bancário dos últimos três meses e o Bilhete de identidade (BI).

Conforme o MININT, foi estratificado o calendário de prova de vida: os pensionistas nascidos de Janeiro a Abril realizam a prova de vida no mês de Janeiro, os que nasceram entre Maio e Agosto fazem em Fevereiro e os que nasceram nos meses de Setembro a Dezembro testam em Março.

Entretanto, o porta-voz da Caixa de Protecção Social disse que os pensionistas que não fizeram as suas provas de vida antes do fim do mês passado, podem ainda fazê-lo até ao dia 29 deste mês.

Após o fim desta data, asseguram, todos os pensionistas afectos à Caixa de Protecção Social do MININT verão as suas pensões cortadas.

“Ainda não suspendemos a pensão de ninguém neste período, mas vamos fazê-lo após o dia 29 de Março, a data para o termo da prova de vida. Quem não fizer prova de vida não terá direito a subsídio”, explicou.

O intendente Anacleto Mateus assegurou que a prova de vida é feita anualmente para evitar oportunismos.

Questionado se tem havido fantasmas na Caixa de Protecção Social, respondeu que sim, mas garantiu não serem muitos os casos.

O Novo Jornal apurou que desde o início, em 2023, da fase de prova de vida, há fraca afluência aos postos, uma situação que está a preocupar o MININT, que assegura que vai cortar a pensão de quem não fizer até ao dia 29 de Março.

Criada há 16 anos, a Caixa tem como objectivo garantir a segurança social dos funcionários do Ministério do Interior.

Fonte: NJ