Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Mulher de 49 anos suspeita de queimar sobrinha

A Polícia Nacional em Luanda deteve, no Distrito da Camama, município de Talatona, uma mulher, de 49 anos, por supostamente ter queimado a sobrinha,...
HomePOLÍTICASecretário-Geral das Nações Unidas é recebido pelo Presidente da República e informado...

Secretário-Geral das Nações Unidas é recebido pelo Presidente da República e informado sobre os conflitos nos Grandes Lagos

O Presidente da República, João Lourenço, recebeu, quarta-feira, na Cidade Alta, o enviado especial do Secretário-Geral das Nações Unidas para a Região dos Grandes Lagos, Huang Xia.

Fonte: JA

O encontro serviu para o Chefe de Estado e o representante da ONU apreciarem a situação actual reinante na região, tendo em vista o interesse do enviado de António Guterres na apresentação de uma comunicação ao Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Em declarações aos jornalistas, à saída da audiência com o Presidente da República, Huang Xia esclareceu que era importante que “bebesse da sabedoria” de João Lourenço, em virtude de o estadista angolano deter importantes informações sobre o processo.

“Sabemos que, neste momento, o Processo de Luanda cristaliza as esperanças para uma paz efectiva na Região dos Grandes Lagos. Não deixei de transmitir à Sua Excelência, Senhor Presidente da República, a alta apreciação que tem junto do Secretário-Geral das Nações Unidas, engenheiro António Guterres, pelos esforços que tem feito, para que se alcance a paz, e que o Processo de Luanda seja sempre um instrumento através do qual poderemos alcançar uma paz definitiva na Região dos Grandes Lagos”, disse.

Huang Xia revelou, ainda, que a recente presença em Angola do Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, serve de sinal de esperança de que há uma “coordenação efectiva entre os Processos de Luanda e de Nairobi”, sublinhando que as Nações Unidas “estão sempre dispostas” a não poupar esforços para que seja um processo bem-sucedido.

Enviado especial do SG das Nações Unidas para a Regiãodos Grandes Lagos, Huang Xia

Aspectos relacionados com a paz e segurança na Região dos Grandes Lagos, sobretudo, a instabilidade política reinante no Leste da RDC e, também, do conflito prevalecente nas Repúblicas do Sudão e do Sudão do Sul dominou o encontro do ministro das Relações Exteriores, Téte António, com Huang Xia.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores refere que, numa conversa de pouco mais de meia-hora, as duas personalidades analisaram, igualmente, o Roteiro de Paz de Luanda e a Declaração de Nairobi, além da recente Reunião Tripartida, que trouxe à capital angolana delegações de alto nível da RDC e do Rwanda, bem como dos encontros mantidos, em dias diferentes, entre os Chefes de Estado João Lourenço, de Angola, Félix-Antoine Tshisekedi Tshilombo, da RDC, e Paul Kagame, do Rwanda, ocorrido, também, em Luanda.

Téte António e Huang Xia abordaram, ao detalhe, todos os esforços diplomáticos que têm vindo a ser envidados, quer pelo Campeão da União Africana para a Paz e Reconciliação em África, quer pelos facilitadores para a paz, designados pela UA, assim como pelos mediadores internacionais.

A avaliação feita sobre a situação na Região dos Grandes Lagos, relacionada ao conflito político RDC-Rwanda, continua a ser considerada “grande preocupação”, pois requer “uma atenção especial e conjugação incessante de esforços de todos os actores da arena internacional intervenientes no processo”.

Neste encontro, Téte António fez-se acompanhar da directora dos Assuntos Multilaterais, Sara Silva, do representante da Missão Permanente de Angola junto da Organização das Nações Unidas, Francisco José da Cruz, do director África, Médio Oriente e Organizações Regionais, Jorge Cardoso, do director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa, António do Nascimento, e do consultor do ministro das Relações Exteriores, Márcio Burity.

O enviado especial do SG da ONU esteve ladeado pela coordenadora residente do Sistema das Nações Unidas em Angola, Zahira Virani, mais dois quadros seniores daquela tribuna política mundial.