Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Camarões: lésbica, Brenda Biya revela sua homossexualidade

Nos Camarões, o jornalista e denunciante Remy Ngono expõe a orientação sexual da filha do presidente camaronês Brenda Biya. Esta última seria lésbica segundo...
HomeECONOMIAAngola reforça o sector da agricultura familiar a segurança alimentar com 100...

Angola reforça o sector da agricultura familiar a segurança alimentar com 100 milhões USD

A Comissão Económica do Conselho de Ministros aprovou esta quarta-feira 85 mil milhões de kwanzas, o equivalente a cerca de 100 milhões de dólares, para apoiar a agricultura familiar e reforçar a segurança alimentar segundo o NJ.

O Programa de Aceleração da Agricultura Familiar e Reforço da Segurança Alimentar 2023-2026, que visa expandir a produção e a produtividade agropecuária, a produção de bens florestais em ambiente familiar, orientados para o mercado, vai também reforçar os níveis de capacitação técnica e massificar o financiamento ao subsector da agricultura familiar de forma descentralizada, simples e desburocratizada, segundo o Executivo.

“Na perspectiva económica, o programa visa alcançar cerca de 196.332 hectares de terras cultivadas, a nível da produção, a pretensão é colher cerca de três milhões de toneladas de produtos diversos, enquanto na área social prevê-se manter os empregos existentes e criar outras oportunidades de emprego, beneficiando mais de 660 famílias”, disse aos jornalistas a presidente do Conselho de Administração do Fundo de Apoio ao Desenvolvimento Agrário (FADA), Felisbela Francisco.

O programa, afirmou, “tem como objectivos o fortalecimento da aceleração e a diversificação da produção agrícola, com ênfase na mecanização da agricultura familiar e o reforço da capacidade técnica dos agricultores”.

Na sua opinião, até ao final do programa, a previsão é financiar mais de 1.100 cooperativas com caixas comunitárias.

Para o alcance desses objectivos, disse terem sido definidas algumas medidas, com destaque para a criação de um cadastro único do agricultor familiar, que permitirá o controlo dos agricultores que beneficiam dos apoios do Estado e dos seus parceiros, para evitar que sejam sempre as mesmas pessoas a ser beneficiadas.