Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Amnistia Internacional exige respeito ao direito de protestos em Luanda

A Amnistia Internacional lembra que as autoridades angolanas devem respeitar os direitos dos manifestantes em Luanda durante a manifestação prevista para 22 de junho...
HomeECONOMIATransportadoras “agastadas com silêncio do Governo” sobre a situação da fronteira com...

Transportadoras “agastadas com silêncio do Governo” sobre a situação da fronteira com a RDC e ameaçam nova paralisação

A Associação de Transportes Rodoviários de Mercadorias de Angola (Atroma) diz-se “agastada” com a situação da fronteira com a República Democrática do Congo (RDC) e ameaçam nova paralisação no corredor logístico Luanda-Luvo-Noqui, até Cabinda, passando pela RDC, por não verem resolvida a situação dos camionistas que continuam a ser obrigados a pagar cerca de 4,5 mil dólares na fronteira, contra os 4,5 mil kwanzas que os camionistas congoleses desembolsam para entrar em solo angolano.

Na sequência da paralisação de Fevereiro passado, os motoristas receberam promessa de uma solução do Governo angolano em duas semanas, mas, passado um mês, não voltaram a ser contactados e a situação mantém-se, segundo apurou o Valor Económico.

“Não é vontade dos transportadores rodoviários fazer uma paralisação, sabemos o que a paralisação faz ao país, mas, há oito anos, temos o problema da fronteira do Luvo. Sempre que afecta, os congoleses implementam as leis deles que somos obrigados a cumprir e eles aqui quase que andam de favor”, desabafa Licínio Fernandes, secretário para Administração e Finanças da Atroma.