Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Presidente da República João Lourenço participa na Investidura de Azali Assoumani, Presidente da União das Comores

PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO DISCURSOU HOJE NA CERIMÓNIA DE INVESTIDURA O Presidente da República de Angola, João Lourenço, também Presidente em Exercício da Comunidade para o...
HomeNOTÍCIASReino Unido em negociações com Angola e Cabo Verde para acolher imigrantes...

Reino Unido em negociações com Angola e Cabo Verde para acolher imigrantes ilegais

A proposta de lei do Governo britânico para deportar imigrantes ilegais para o Ruanda volta nesta segunda-feira, 15 de Outubro, à Câmara dos Comuns para nova série de debates e votações a emendas aprovadas na Câmara dos Lordes. De acordo com os órgãos de comunicação The Times e a BBC, o executivo está em negociações com outros países, nomeadamente Angola e Cabo Verde estão na lista de opções.

A proposta de lei do Governo britânico para deportar imigrantes ilegais para o Ruanda volta nesta segunda-feira, 15 de Outubro, à Câmara dos Comuns para nova série de debates e votações a emendas aprovadas na Câmara dos Lordes. De acordo com os órgãos de comunicação The Times e a BBC, o executivo está em negociações com outros países, nomeadamente Angola e Cabo Verde estão na lista de opções.

A proposta de lei do Governo britânico para deportar imigrantes ilegais para o Ruanda volta nesta segunda-feira, 15 de Outubro, à Câmara dos Comuns para nova série de debates e votações a emendas aprovadas na Câmara dos Lordes. De acordo com os órgãos de comunicação The Times e a BBC, o executivo está em negociações com outros países, nomeadamente Angola e Cabo Verde estão na lista de opções.

Angola e Cabo Verde estarão numa lista de países que o Governo britânico admite abordar para receberem imigrantes ilegais do Reino Unido, tal como negociou com o Ruanda. A informação, não oficial, é avançada pelo jornal “The Times” e confirmada pela “BBC”.

Segundo o diário britânico, Londres está actualmente a negociar com Costa do Marfim, Botsuana, Costa Rica e Arménia para repetir o mesmo tipo de acordo que fez com o Ruanda.

As autoridades ruandesas aceitaram receber centenas de requerentes de asilo nos próximos cinco anos em troca de cerca de 400 milhões de libras, quase 500 milhões de libras.

O Ruanda apresenta-se como um dos países mais estáveis do continente africano, mas vários grupos de direitos humanos acusam o Presidente Paul Kagame de governar num clima de medo, sufocando a dissidência e a liberdade de expressão.

O Governo britânico estará também a explorar outras opções, e Angola e Cabo Verde estão nesta lista, juntamente com Senegal, Tanzânia, Togo e Serra Leoa.

A falta de meios e estruturas locais, escassas relações diplomáticas e potencial oposição da opinião pública são alguns obstáculos identificados. A Guiné-Bissau foi rejeitada devido à instabilidade política. Marrocos, Tunísia, Namíbia e a Gâmbia terão rejeitado explicitamente negociações sobre esta matéria.

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, considera esta proposta de lei essencial para dissuadir migrantes que atravessam o Canal da Mancha em pequenas embarcações como barcos insufláveis. No primeiro trimestre de 2024 o número de migrantes ilegais que entraram no país aumentou 41,7% em relação ao primeiro trimestre de 2023, atingindo um nível recorde.