Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Amnistia Internacional exige respeito ao direito de protestos em Luanda

A Amnistia Internacional lembra que as autoridades angolanas devem respeitar os direitos dos manifestantes em Luanda durante a manifestação prevista para 22 de junho...
HomePOLÍTICACrise no Leste da RDC "Tshisekedi alinha abordagem da situação com Paul...

Crise no Leste da RDC “Tshisekedi alinha abordagem da situação com Paul Kagame”

Presidente da República Democrática do Congo (RDC), Félix Tshisekedi, aceitou sentar-se à mesma mesa, nos próximos dias, com o homólogo do Rwanda, Paul Kagame, para encontrarem uma solução para a crise de paz e segurança no Leste da RDC, cuja tensão subiu de intensidade.

Chefe de Estado manteve encontro com o homólogo da República Democrática do Congo no Palácio Presidencial © Fotografia por: Contreiras Pipa| Edições Novembro

A preparação do encontro é uma iniciativa do Presidente João Lourenço, na qualidade de medianeiro designado pela União Africana para tratar daquele problema.

Félix Tshisekedi confirmou a presença no acto durante o encontro que manteve, ontem, em Luanda, com o estadista angolano, no Palácio Presidencial, na Cidade Alta, para abordar a situação prevalecente naquela região.

Em declarações à imprensa, no final do encontro entre os dois Chefes de Estado, que durou cerca de três horas, o ministro das Relações Exteriores, Téte António, disse não estar, ainda, determinada a data e o local do encontro entre Paul Kagame e Félix Tshisekedi, mas assegurou que as responsabilidades para a materialização do mesmo está a cargo de Angola, na qualidade de mediador do processo.

“O encontro tem como finalidade acabar com a crise prevalecente no Leste da República Democrática do Congo e o retorno de uma paz sustentável entre os dois países”, destacou o chefe da diplomacia angolana, que também participou do encontro.

Um dia antes da abertura da 37ª Conferência de Chefes de Estado e de Governo da União Africana, em Adis Abeba, Etiópia, o Presidente da República, João Lourenço, promoveu, na qualidade de Campeão para a Paz e Reconciliação em África, uma Mini-Cimeira para abordar a situação no Leste da República Democrática do Congo.

Esta Cimeira, realizada a partir do maior palco da diplomacia africana e conduzida pelo estadista angolano, reuniu vários Chefes de Estado e de Governo presentes na capital etíope para participar na Cimeira da União Africana.

A Mini-Cimeira teve como objectivo relançar as bases para a conjugação de esforços com vista ao estabelecimento de um novo cessar-fogo no Leste da República Democrática do Congo, onde o Exército Nacional e as forças rebeldes do M-23 se envolvem em duros e sangrentos combates.

Na sequência da Mini-Cimeira de Adis Abeba, o Presidente João Lourenço manteve, no dia seguinte, encontros separados com os Presidentes Paul Kagame e Félix Tshisekedi para abordar a situação naquela região volátil dos Grandes Lagos.

No discurso feito nesta 37ª Cimeira da União Africana, o Presidente João Lourenço fez um resumo das acções levadas a cabo para a pacificação do Leste da República Democrática do Congo, com realce para a realização das duas Mini- Cimeiras realizadas, no ano passado, na capital angolana, com o objectivo de harmonizar e assegurar a coordenação regular dos processos de Luanda e Nairobi e reforçar a necessidade da implementação do Plano de Acção Conjunto sobre a Resolução da Crise de Segurança na região Leste da RDC, de modo a atenuar o clima de tensão e normalizar as relações político-diplomáticas entre a RDC e o Rwanda.

“Não obstante tudo isso, constatamos o agravamento da situação no Leste da RDC, com a tentativa de ocupação, por parte do M-23, de novas áreas naquela região, em clara violação ao que foi estabelecido nos processos de Luanda e de Nairobi, destruindo todos os esforços e iniciativas desenvolvidas nos últimos anos”, ressaltou o estadista angolano.

O Roteiro de Luanda é o documento aprovado, na capital angolana, no dia 6 de Julho de 2022, durante a Cimeira Tripartida da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), entre Angola, RDC e Rwanda, que aponta os caminhos para a pacificação do Leste da RDC.

Entre os vários pontos constantes neste documento, assinado pelos Presidentes Paul Kagame, Félix Tshisekedi e João Lourenço, na qualidade de presidente em exercício da Conferência Internacional sobre a Região dos Grandes Lagos e mandatário da União Africana, destacam-se a instauração de um clima de confiança entre os Estados da Região dos Grandes Lagos, a criação de condições ideais de diálogo e concertação política, com vista à resolução da crise de segurança no Leste da RDC, a normalização das relações políticas e diplomáticas entre a RDC e o Rwanda, assim como a cessação imediata das hostilidades.

A Organização das Nações Unidas considerou o Roteiro de Luanda um documento importante para a resolução da crise reinante no Leste da República Democrática do Congo, sublinhando tratar-se de um apoio valioso para o fim do conflito.

C/Jornal de Angola