Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Amnistia Internacional exige respeito ao direito de protestos em Luanda

A Amnistia Internacional lembra que as autoridades angolanas devem respeitar os direitos dos manifestantes em Luanda durante a manifestação prevista para 22 de junho...
HomeNOTÍCIASSAÚDECentral de Medicamentos investe na melhoria da cadeia de distribuição de produtos...

Central de Medicamentos investe na melhoria da cadeia de distribuição de produtos farmacêuticos no País

A Central de Medicamentos e Artigos Médicos (CMAM) aposta na modernização dos serviços e introdução de armazéns intermediários, com vista à eliminação de um nível na cadeia de distribuição de medicamentos e produtos farmacêuticos no país.

by: Arson Armindo

Esta informação foi avançada esta segunda-feira, 29 de Janeiro, pelo respectivo Chefe do Departamento de Planificação, Francisco Cossa, durante a visita da delegação Agência Reguladora de Medicamentos e Tecnologias de Saúde de Angola (ARMED), àquela instituição de logística farmacêutica.

*“Neste momento está em funcionamento um sistema híbrido na cadeia de distribuição que conta com armazéns distritais. Por isso, estamos a trabalhar para a instalação de armazéns intermediários como solução para facilitar a distribuição a nível nacional”*, referiu Francisco Cossa na interação com a comitiva angolana que se fazia acompanhar pelo Administrador Executivo para a Área de Operações e Pesquisa Farmacêutica da ANARME, IP, Alberto Chambe, no quadro da visita para troca de experiência e reforço da cooperação que realiza a Moçambique.


“Por Medicamentos Seguros, Eficazes e de Qualidade”

Francisco Cossa referiu-se ainda sobre a existência de sistemas informáticos que facilitam a gestão de medicamentos ao nível nacional, em todas as cadeias de distribuição.

A delegação angolana que termina a sua visita na terça-feira (30), teve a oportunidade de escalar o maior armazém de medicamentos do País, localizado nos arredores da Cidade de Maputo, local onde conheceu o circuito de armazenagem e distribuição, respeitando as Boas Práticas de Armazenamento e Distribuição aprovados pela Organização Mundial de Saúde (OMS).