Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Presidente da República João Lourenço participa na Investidura de Azali Assoumani, Presidente da União das Comores

PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO DISCURSOU HOJE NA CERIMÓNIA DE INVESTIDURA O Presidente da República de Angola, João Lourenço, também Presidente em Exercício da Comunidade para o...
HomeNOTÍCIASCRIMEBenguela: Roubo de material do CFB volta a colocar circulação de comboios...

Benguela: Roubo de material do CFB volta a colocar circulação de comboios em risco

Os Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB) voltaram a ser alvo de furto de grandes quantidades de travessas (ver foto) que suportam os carris daquela via férrea, colocando em severo risco de acidente os comboios que ali circulam.
O autor deste acto foi apanhado pela Polícia Nacional (PN) no município de Camacupa, província do Bié, quando levava o material para aquela localidade, de acordo com o porta-voz da PN-Bié, António Hossi.
O produto furtado estava a ser carregado no interior de um camião, que já se encontra apreendido, e o seu proprietário está igualmente detido e será encaminhado para o juiz de garantia.
Junto das autoridades policiais que o homem detido não agiu sozinho, pois há mais indivíduos envolvidos neste esquema, tratando-se de uma possível rede que se dedica ao furto de metais para revenda. A polícia assegura que diligencias já estão em curso para se apurar o que sucedeu integralmente e verificar a possibilidade de existência de uma organização extensa por detrás deste furto.
Em Outubro de 2023, uma quadrilha de quatro elementos também foi detida pelo Comando Municipal de Catumbela da Polícia Nacional, por furto de 323 placas fixadoras de agulhas da linha férrea local.
Estes transportaram os materiais retirados do interior da empresa CR-20, prestadora de serviços do CFB, num camião frigorífico, e os equipamentos seriam comercializados nos mercados de Benguela.
O roubo e furto de metais tem sido prática comum nos últimos anos em Angola, como o Novo Jornal tem vindo a noticiar, sendo que estes são mais perigosos para a comunidade quando acontecem nas vias de caminho-de-ferro e nas estruturas de condução de electricidade, como pode revisitar nos links em baixo nesta página.