Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

JOSÉ CALENGI, MANTÉM OS NÍVEIS DE CONFIANÇA E ASSEGURA QUE O EXECUTIVO VAI REALIZAR O COMPROMISSO DE ANGOLANO E DO PAÍS

Exclusivo : Falta de logística hábil e equipamento operacional tornam o adiamento de Canso Angola 2024 A falta da logística suficiente e equipamento operacional nomeadamente,...
HomeCULTURAFestival NGEYA retorna este mês com a segunda edição promissora

Festival NGEYA retorna este mês com a segunda edição promissora

O vibrante e culturalmenteenriquecedor Festival de Música e Dança Regional Leste (NGEYA) está de volta com a sua 2ª edição que acontece nos dias 28 e 29 do corrente mês, no Largo 1º de Maio, na cidade de Saurimo, província da Lunda Sul, prometendo uma celebração ainda mais intensa da rica diversidade cultural dos povos do Leste de Angola.

Com uma herança focada no resgate cultural, diálogo intercultural e construção
de legados para as futuras gerações, o Festival NGEYA, promovido pela Sociedade Mineira de Catoca, retorna para fortalecer ainda mais os laços entre as comunidades e honrar as tradições ancestrais dos povos.

Sob direcção artística artista do músico e produtor Gabriel Tchiema, a edição deste ano terá como lema: “Unindo Culturas, Construindo Legados” e vai homenagear o grupo Sassa Tchokwe.

A festividade foi idealizada para promover a cultura regional, resgatar práticas culturais fundamentais e garantir a continuidade das tradições através da música e da dança, enquanto promove o diálogo intercultural e homenageia os determinantes agentes culturais.

“Estamos a trabalhar com uma base de dados de 13 grupos com um número de 10 a 14 elementos cada. Desde a sua primeira edição em 2023, no Luena, Moxico, o Festival NGEYA tem trabalhado para se tornar num evento cada vez mais dedicado ao resgate e diálogo intercultural que une as gerações, permitindo a construção de um legado cultural duradouro para a juventude angolana”, declarou assessor de Comunicação Institucional da Catoca e porta-voz do evento, engenheiro Pedro Capumba, reconhecendo que os valores do NGEYA nãomenosprezam o respeito à ancestralidade, a inovação na preservação cultural, o
diálogo intergeracional, a integração e a sustentabilidade.

O NGEYA apresenta cinco plataformas distintas, entre as quais oficinas e palestras para transmitir conhecimentos ancestrais, espectáculos de música e dança para celebrar a riqueza cultural dos povos, exposições de arte para destacar a diversidade criativa e a gastronomia para explorar os quitutes da região.

Mais de 10 grupos de dança e música regional foram seleccionados para representarem os principais géneros das suas localidades nesta iniciativa cultural.

No dia 25 de Junho de 2022 realizou-se, na cidade do Dundo, a edição 0 (zero) do NGEYA e em 2023, foi a cidade do Luena, Moxico, que acolheu a primeira edição do Festival de Música e Dança Regional Leste.

GRUPOS PARTICIPANTES

O certame conta com o apoio institucional dos governos provinciais da Lunda Sul, Lunda Norte e Moxico, tendo como destaque uma selecção cuidadosa dos participantes.

Além do diálogo cultural com o grupo Vindjomba, da Huíla, a província da Lunda Norte será representada pelos grupos ‘Tchokwe fucauma’/Cambulo, ‘Diximbi’ e ‘Estrela do Capenda Camulemba’; a Lunda Sul será representada pelos grupos ‘Ana Chimbi’, ‘Ulengo Tchako Tchetu’ e ‘Cultural Tchisseke’ e será adicionado mais dois grupos convidados que são ‘Mukixi Mwana Pwó’ e ‘Ulengo wa Tchako’.

A província do Moxico terá representação dos grupos “Sakapenda”, “Tchivumaji do Luacano” e “Tchissemwa tcha Luvale”. .

PRÉMIOS AOS GRUPOS

O NGEYA é um festival de amostra cultural e não de um concurso, sendo que não existem grupos vencedores, mas os participantes recebem um prémio de participação.

Nesta edição de 2024, os prémios de participação dos grupos estão fixados em Akz. 1.000.000,00 (Um Milhão de Kwanzas cada) para os grupos participantes e Akz. 500.000,00 (Quinhentos Mil Kwanzas) para os grupos convidados.

“NGEYA” é uma expressão usada nas danças e músicas tradicionais que significa exaltação, euforia e expressão de sentimentos da alma que os antepassados usavam para engrandecer o acto e alegrar-se do bem-fazer da pessoa que está a dançar.