Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Amnistia Internacional exige respeito ao direito de protestos em Luanda

A Amnistia Internacional lembra que as autoridades angolanas devem respeitar os direitos dos manifestantes em Luanda durante a manifestação prevista para 22 de junho...
HomeNOTÍCIASSOCIEDADEJosé Calengi, Director Geral do Instituto Nacional de Estatística

José Calengi, Director Geral do Instituto Nacional de Estatística

CENSO POPULACIONAL ANGOLA 2024“

Há uma expectativa à volta do que está ser projectado para este ano”

Angola volte novamente a realizar a partir de 19 de Julho de 2024, o segundo Censo Populacional depois de ter realizado a primeira experiencia em 2014 de modo digital cujos resultados preliminares de cadastramento calculou – se em 24, 3 milhões de habitantes nacionais e estrangeiros residentes, soube o Diário Independente.

By: Mavungo André Simão

Em declarações prestadas ao DI, José dos Santos Calengi adiantou sem precisar uma previsão provável quanto à meta a alcançar, no que concerne à contagem populacional, que para este ano, o INE prevê trazer um serviço de recolha de dados centrado no maior impacto e transparente à volta do que realmente se quer projectar.

“Não é o momento certo que permita adiantar algum dado sobre a previsão voltada para os números que pretendemos alcançar no que se refere ao cadastramento. No entanto, é animador dizer que há uma expectativa à volta do que está a ser projectada para este ano”, explicou.

Subordinado ao lema, “Juntos contamos por Angola”, o responsável, que mostra – se congratulado com as condições técnicas e humanas à disposição do INE, disse que para o alcance exitoso da empreitada com início a 19 de Julho próximo, foi possível realizar inicialmente, a fase do Censo piloto que contou com especialistas e técnicos da Lusofonia e de SADEC, que na ocasião realizaram visitas em época certa e na cartografia, por objectivo de constatar de perto o grau de preparativos à volta daquele serviço de grande relevância para o País e famílias.

“Tivemos o privilégio de receber técnicos da Lusofonia e da SADC, que percorreram os quatros “cantos” da cartografia e avaliaram as condições que garantem a realização deste importante acto para Angola e famílias”. Ainda assim, estamos certos, eles devem voltar a breve trecho para participarem da operação “princ“, esclareceu.

Segundo afirmou José Calengi, os trabalhos do Censo 2024, deverão estar direccionados sem sombras para dúvidas, para a metodologia internacional e supervisionados por um cidadão Senegalês, perito de larga experiência em matéria de género e que conta com assessoria da FNUAP.

Importa lembrar que, para o recenseamento do Censo Geral e de habitação, o Executivo Angolano aprovou um pacote de orçamento avaliado em cerca de 30 mil milhões kz, valor este que, de acordo com fontes a que o DI teve acesso, vão doravante permitir que as actividades a decorrerem em todo o País, produzam resultados concretos sem equívocos.