Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Presidente da República João Lourenço participa na Investidura de Azali Assoumani, Presidente da União das Comores

PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO DISCURSOU HOJE NA CERIMÓNIA DE INVESTIDURA O Presidente da República de Angola, João Lourenço, também Presidente em Exercício da Comunidade para o...
HomeÁFRICAEleções no Chade: Homem morto a tiro

Eleções no Chade: Homem morto a tiro

Um homem de 65 anos foi morto a tiro, no sul do Chade, por um agressor desconhecido a quem tinha sido recusado o direito de voto por falta de cartão de eleitor.

Lusa

O agressor fazia parte de um grupo de pessoas que exigia o direito de voto numa assembleia em Moundou. Um deles abriu fogo indiscriminadamente, atingindo um homem que tinha acabado de votar, informou Ousmane Houzibé, chefe de missão da Agência Nacional de Gestão Eleitoral (ANGE) em Moundou, citado pela agência France Presse.

Os chadianos foram às urnas esta segunda-feira (06.05) para eleger um Presidente, encerrando a um processo de transição de três anos, dirigido até agora por uma junta militar. 

Mais de oito milhões de eleitores foram chamados a escolher entre dez candidatos presidenciais, destacando-se dois: o chefe da junta militar, o general Mahamat Idriss Déby Itno, e o seu primeiro-ministro, Succès Masra, um antigo opositor que em janeiro último se juntou ao regime do primeiro, num duelo sem precedentes no país.

Pelo caminho ficaram outros dez candidatos impedidos de concorrer. A generalidade da oposição foi violentamente reprimida e excluída, tendo, por isso, apelado ao boicote do escrutínio. 

Os críticos consideram que estas são eleições presidenciais de fachada, servindo apenas de trampolim para perpetuar a “dinastia Déby”, num processo com sinais claros de falta de credibilidade.