Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Projeto Político Partido Liberal

Projeto Político Partido Liberal A Juventude Africana como Protagonista do Futuro do Continente. Em um dia como hoje, celebramos o Dia da África, uma data de...
HomeNOTÍCIAS"Angola não tem condições para acolher migrantes deportados"

“Angola não tem condições para acolher migrantes deportados”

Jornal britânico noticiou que Cabo Verde e Angola estariam numa lista de países a abordar pelo Reino Unido para negociar a deportação de migrantes. Cabo Verde já se demarcou sobre o tema. Angola continua em silêncio.

Na segunda-feira (15.04), o jornal britânico The Times noticiou que Cabo Verde e Angola estariam numa lista de países – juntamente com o Botswana, o Senegal, a Tanzânia, o Togo e a Serra Leoa – que poderiam ser abordados pelo Reino Unido, caso falhem as negociações com outros países para o envio de migrantes.

O jornal citava documentos internos oficiais, obtidos através de uma fuga de informação, segundo os quais a Costa Rica, a Costa do Marfim e a Arménia seriam opções, caso os tribunais continuem a impedir a deportação de migrantes para o Ruanda.

De acordo com o The Times, a Guiné-Bissau terá sido rejeitada devido à instabilidade política que o país enfrenta. Já Marrocos, Tunísia, Namíbia e a Gâmbia são referidos como tendo rejeitado explicitamente qualquer negociação sobre esta matéria.

Cabo Verde reagiu ontem à notícia. Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros, Cooperação e Integração Regional cabo-verdiano disse que “o assunto nunca foi abordado” e “o Governo não aceita encetar qualquer negociação nesse sentido”. A DW África contactou o Governo angolano, mas não foi possível obter uma reação. Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores de Angola “desmente qualquer contacto com o Governo Britânico neste sentido”, escreve o Jornal de Angola.

Joveth Sousa, especialista em Relações Internacionais, diz que Angola não tem condições para receber migrantes deportados devido às crises económicas e sociais que o país enfrenta. Acredita ainda que o silêncio das autoridades angolanas até aqui é para evitar turbulências sociais.