Become a member

Get the best offers and updates relating to Liberty Case News.

― Advertisement ―

spot_img

Presidente da República João Lourenço participa na Investidura de Azali Assoumani, Presidente da União das Comores

PRESIDENTE JOÃO LOURENÇO DISCURSOU HOJE NA CERIMÓNIA DE INVESTIDURA O Presidente da República de Angola, João Lourenço, também Presidente em Exercício da Comunidade para o...
HomeNOTÍCIASReputação de Álvaro Sobrinho  ex-BES Angola nos media

Reputação de Álvaro Sobrinho  ex-BES Angola nos media

O Tribunal da Comarca de Luanda deu provimento a uma providência cautelar da Wyde Capital que se traduz na nomeação de nova gestão na empresa do Novo Jornal, indicada pelo empresário Álvaro Sobrinho.
Conforme a documentação consultada, a decisão do tribunal de 27 de Novembro, já foi comunicada ao Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, indicando como novo administrador André Freire dos Reis.
A mesma nota indica que deixam de produzir efeitos decisões do ex administrador, Emanuel Madaleno. No processo contra Emanuel Madaleno, a Wyde Capital foi representada directamente por Álvaro Sobrinho, ex-BES Angola e principal accionista do Banco Valor.
A decisão do tribunal suspende “temporariamente”, até trânsito em julgado e decisão final, de funções Emanuel Madaleno na administração da New Media e do Novo Jornal (NJ), além de impedir o visado de atos contra a gestão das referidas sociedades e da Wyde Capital.

Factos apurados pelo tribunal, conducentes à decisão: – Álvaro Sobrinho é, através da Wyde Capital, o principal accionista da New Media, proprietária do NJ;

– Existe um “justo receio” de conduta de Emanuel Madaleno lesiva para os interesses do accionista, ficando estabelecido que praticou “actos indiciariamente lesivos” para a sociedade;

De acordo com o África Monitor, o dministrador da New Media desde 2013, Madaleno transferiu “de forma pouco nítida” para outras sociedades activos da New Media/Novo Jornal;

Na providência cautelar, e até decisão judicial final, Sobrinho exigia em tribunal que Madaleno fosse suspenso do cargo de administrador, afastado das sedes da New Media e NJ e impedido de criar obstáculos à gestão da empresa pelo legítimo accionista. A Wyde Capital detém 70% do capital da New Media, antes detidos pela ESCOM.

A New Media sofreu uma quebra de volume de negócios e problemas de tesouraria que punham em causa a sua viabilidade, ultrapassados com uma reestruturação financeira realizada por Álvaro Sobrinho, que envolveu injecção de liquidez e reestruturação de créditos.

Os créditos usados foram reembolsados à sociedade Ocean Private, pertencente a Sobrinho. Emanuel Madaleno é acusado de, após ter assumido os cargos na New Media e NJ, ter deixado de dar seguimento às decisões dos accionistas.

Na ficha técnica do jornal passou a constar como titular uma empresa, Tolerância, cuja estrutura accionista não inclui Emanuel Madaleno directamente, mas que Sobrinho considera estar ligada ao gestor, seu irmão.

Emanuel Madaleno terá passado a recusar também prestar contas e apresentar os títulos representativos do capital social das empresas. A decisão judicial já foi comunicada também ao ex diretor do Novo Jornal, Armindo Laureano. Na nota, é referido que a direcção será interinamente assumida pelo novo administrador, André Freire dos Reis.

Fonte: África Monitor